Postagens

Mostrando postagens de 2019

10 razões pelas quais o inglês é um idioma tão importante

Imagem
O inglês é a língua mais dominante do mundo, causando impacto em todos os campos de trabalho. Sem dúvida, o inglês desempenha um papel muito grande no mundo, e é impossível que as pessoas o ignorem completamente. Aqui estão 10 razões pelas quais o inglês é um idioma tão importante.

1. É a língua mais falada no mundo

Dependendo um pouco de como você conta, além dos aproximadamente 400 milhões de falantes nativos, o inglês é compreendido e / ou falado por 1-1,6 bilhões de pessoas. Com mais de um quarto do mundo falando o idioma, sempre há alguém com quem praticar, especialmente quando você viaja.

2. É a linguagem dos negócios internacionais
Com a sede mundial de negócios predominantemente nos centros financeiros do Reino Unido e dos EUA, o inglês é há muito o idioma padrão do comércio, como você pode ler na história do idioma inglês. Portanto, o inglês é o idioma comercial dominante e tornou-se quase uma necessidade para as pessoas falarem inglês se quiserem ingressar em uma força de tra…

3 maneiras inteligentes de melhorar as habilidades de speaking

Imagem
Na postagem de hoje, estamos discutindo alguns métodos gratuitos que você pode usar para aprimorar as habilidades da fala no inglês e expandir a memória muscular linguística.

Assista a vídeos do YouTube
O YouTube é um ótimo recurso gratuito para familiarizar-se com os sotaques do inglês nativo.
Se seu objetivo é melhorar as habilidades da fala no inglês, é necessário primeiro entender os falantes nativos de inglês quando eles falam em velocidade normal. (velocidade normal é a chave).
Assistir falantes nativos no Youtube, seja em um programa de TV noturno ou em um programa de comédia, ajuda seu cérebro a se familiarizar com o inglês.




Você pode aprender frases populares ouvindo os anfitriões e seus convidados conversarem. Além disso, você pode desenvolver uma apreciação pelo ritmo do idioma, como ele deve ser falado.
Não se force a aprender muito ao assistir vídeos do YouTube. Em vez disso, deixe o aprendizado ser passivo. 

O vídeo abaixo é um ótimo exemplo. Trata-se de uma palestra muito inter…

TOEFL - Test of English as a Foreign Language

Imagem
TOEFL - Test of English as a Foreign Language (Teste de Inglês como Língua Estrangeira).

Muito provavelmente você já ouviu falar do TOEFL, o mais importante certificado da língua inglesa. Quando o assunto é domínio do idioma, este exame é um dos mais famosos do mundo, com reconhecimento internacional. Então fique esperto, que vamos esmigalhar este assunto.

O TOEFL é um exame que tem por objetivo avaliar o potencial individual de falar e entender o inglês em nível acadêmico. Em outras palavras, mede o seu conhecimento e habilidade no idioma.

Este exame é requerido aos que tentam ingressar em uma universidade de um país em que o inglês é a primeira língua. Além disto, órgãos governamentais e programas de bolsa de estudos também o utilizam como requisito de admissão em seus cursos, visando avaliar o seu nível de fluência e domínio no idioma.

Ter este certificado é um destino certo para alavancar a carreira e abrir portas no mundo acadêmico como um mestrado ou um doutorado no exterior.

A…

Falar inglês e o Efeito Platô

Imagem
Aprender qualquer habilidade é difícil, é como se fosse uma dança contínua...
Mas não aprendemos de maneira regular ou metódica. O aprendizado ocorre como surtos. Saltos repentinos na habilidade são intercalados com momentos de estagnação ou platôs nos quais parece que nada acontece.
Obviamente gostamos muito das melhorias rápidas e ficamos frustrados durante os momentos de “platôs” ou estagnação. É fácil entender o porquê. Estávamos trabalhando duro. Estávamos progredindo rapidamente. E então, de repente, todo o progresso parece parar repentinamente.
E por mais que continuamos trabalhando duro. Continuamos ouvindo e lendo diariamente. Continuamos revisando. Podemos até aumentar o tempo e a energia que dedicamos ao aprendizado do idioma. No entanto, nada parece acontecer.
Nesses momentos, é fácil entrar em pânico. Começamos a ter pensamentos malucos como "eu nunca vou aprender inglês", "eu não estou aprendendo mais", "isso é impossível". Se você se c…

Podcast: Sophia, the good girl

Imagem
A "audição" tem que ser cerca de 70% de todo o tempo que utiliza para aprender e treinar inglês.



PODCAST - SOPHIA, THE GOOD GIRL

Este é um super podcast para treinar inglês. Lembre-se que para aprender uma segunda língua, a        primeira etapa é  ouvir muito, mas muito mesmo o novo idioma...!  ,

Mas tem um segredo, você deve ouvir e entender o que está sendo ouvido, por isso, é importante o    transcript do podcast, ou seja, a transcrição de tudo o que é falado.


Segue link para acessar o podcast:Podcast: Sophia, the good girl


Se preferir, este mesmo podcast pode ser acessado no website:https://www.justtalking.club/
onde também encontrará o transcript.



Take Care Everybody

Como Desenvolver a Leitura de Livros em Inglês

Imagem
Imagine seu cérebro rodando a mil por hora totalmente em inglês.

Você envolvido na história, imaginando ela acontecendo dentro da sua mente. A descrição dos fatos, dos ambientes, a narração, os personagens conversando em inglês, e tudo isto simultaneamente enquanto você lê e assimila um livro em inglês.

Imagine você se emocionando com a história, curtindo, rindo, se entusiasmando, ao ponto que, o fato do livro ser em inglês é apenas mero detalhe. Porque o que importa mesmo é o conteúdo do que está lendo, a curiosidade de saber o final é o que te move a seguir em frente...

Então neste momento você se lembra que também está treinando e melhorando ainda mais a sua habilidade no inglês, mas desta vez tem algo de diferente, você faz isto enquanto se diverte, se emociona, ou se surpreende com o seu livro.


Dentre todos os benefícios que existem em ler livros em inglês, um deles é meu preferido:

"Ler livros em inglês ajuda você a atingir a fluência na língua mais rápido do que nunca.&qu…

Adultos são realmente melhores aprendizes de idiomas do que crianças.

Imagem
Ao contrário de séculos de superstição, na verdade os adultos são realmente melhores aprendizes de idiomas do que crianças. 
O equívoco mais comum do tipo "eu desisto" é quando alguém fala: "Eu sou muito velho para me tornar fluente.."
Fico feliz em ser portador de boas notícias e dizer que pesquisas confirmaram que adultos, na verdade, aprendem melhor o idioma do que as crianças. Este estudo da Universidade de Haifa em Israel, descobriu que, os adultos mostram uma intuição por regras gramaticais inexplicáveis ​​muito melhor do que seus colegas mais jovens.  Além disso, nenhum estudo demonstrou correlação direta entre habilidade reduzida de aquisição de linguagem e aumento da idade. No entanto, existe sim uma tendência geral de queda na aquisição da linguagem em adultos, que depende mais de fatores ambientais que podem ser alterados (por exemplo, longas horas de trabalho que diminuem o tempo de estudo).

Algo que meu amigo Khatzumoto (alljapaneseallthetime.com) disse um…

Interaja no idioma diariamente sem viajar.

Imagem
Um motivo (ou desculpa, dependendo de como você vê) que as pessoas citam por não aprender outros idiomas é que não podem visitar um país em que é o idioma nativo é falado. Sem tempo, sem dinheiro, etc.


Não é garantido o fato de estar morando em um outro país, que você aprenderá a língua deles. Conheci muitos ​​expatriados que viveram no Brasil por anos sem aprender Português. Viver no exterior e estar imerso no idioma local não é a mesma coisa. Depende muito das suas interações, ou seja, se você se expões ao idioma.

Se você mora no exterior, mas na maior parte interage apenas com pessoas próximas que falam a sua língua, seu progresso será pequeno ou quase nulo.

É inegável que a imersão faz total diferença quando se está aprendendo uma outra língua, então, se precisamos ouvir e usar o idioma de forma consistente para estar imerso, a imersão virtual funciona? É eficaz?

Claro que sim!!!!

A tecnologia torna possível a imersão chegar até você e nem precisa comprar uma passagem de avião.


Pa…

A linguagem é uma habilidade, não um conhecimento,

Imagem
A linguagem é uma habilidade, não um conhecimento, por isso para falar bem e alcançar a fluência num outro idioma, é preciso muito, mas muito treinamento. O fato é que, o conhecimento de regras e teorias gramaticais não qualificam ninguém a falar uma língua, de jeito nenhum.



Mas qual a diferença entre habilidade e conhecimento?


Imagine que você queira aprender algo que requer uma habilidade, como por exemplo, dirigir um carro ou tocar violão.
Então você consome e aprende durante meses todo o conhecimento que existe a respeito destes dois assuntos. Depois de um tempo, você adquire o conhecimento necessário para dirigir um carro, ou tocar violão, porém nunca se sentou num carro para dirigir ou pegou num violão para tocar, ou seja, não houve o treinamento.
Então te pergunto, apesar de ter o conhecimento necessário para fazer as duas coisas, você realmente sabe como dirigir ou tocar violão, porque somente leu a respeito?
Mas é claro que não! Porque qualquer coisa que requer habilidade, …

Como o cérebro aprende uma segunda língua

Imagem
Pesquisas com aves utilizando tecnologia sofisticada de imagens cerebrais fornecem alguns insights (visões) intrigantes sobre a melhor forma de atingir as metas de aprender uma segunda língua.
Assim como pássaros, os sons que produzidos são essenciais para um normal desenvolvimento vocal.”


Os sons e o feedback (input / output)

Estudos de desenvolvimento de canções em certas espécies de pássaros sugerem que o feedback auditivo pode ser um passo crucial na aprendizagem da linguagem.

Os passarinhos aprendem de seus pais uma única canção cedo na  vida. Esse processo de aprendizado depende da capacidade do jovem passarinho de ouvir não apenas as músicas do pai, mas também suas próprias tentativas de vocalizar a melodia.

Esta exigência de feedback auditivo em aves justifica o que foi visto em humanos. Crianças mais velhas que perdem a audição perdem gradualmente a capacidade de formar palavras adequadamente. Como Doupe e Brainard escreveram na edição de outubro de 2000 da revista Nature Neurosci…